Artigo a respeito da pesquisa na astrologia brasileira – Agosto, 2007 www.cnastrologia.org.br

Podemos sonhar

A primeira enquete realizada pelo site da CNA registrou, com uma votação expressiva de quase 35%, a demanda de investimento na área da pesquisa.

Tal votação moveu a diretoria do CNA a entender mais de perto a questão - o que é pesquisa, para quê e como ela deve ser desenvolvida, além de outras questões recorrentes destas. Necessário se torna, a partir dela, compor um quadro de intenções e atitudes para responder a essa votação.

Longo foi o caminho da pesquisa desde sua origem. Da curiosidade natural do homem que o impele à busca de respostas, até seu significado no contexto complexo da cultura contemporânea, são muitos os conceitos e imagens que temos dela. Atualmente, juntam-se a essa variedade, aspectos mais amplos, como os profissionais e relativos ao mundo globalizado em que vivemos.

Ela organiza o conhecimento das áreas da cultura humana. Dá visibilidade junto ao público e empresta consistência aos campos do conhecimento. Tais aspectos podem ser importantes para a construção da imagem da Astrologia que nós desejamos.  É muito bom, então, que o interesse pela pesquisa esteja surgindo com essa força dentro de nossa comunidade.

Alguns grupos de pesquisa têm se desenvolvido aqui e ali. Publicações de teses acadêmicas em nível de mestrado e doutoramento acontecem. Instituições abrem espaço para a pesquisa da Astrologia (Universidade de Brasília). Departamentos de pesquisa se organizam (Escola Gaia de Astrologia/ SP).

O CNA chega e também se propõe a engrossar essa boa disposição de refletir os temas e questões astrológicas de forma organizada. Dispõe-se também a divulgar as notícias dos trabalhos que vêm se desenvolvendo. 

Com alegria e inspiração saturnina, aceitei o convite para coordenar esta área do site. Saturno (foi um chamado dele, acredite!) me pede que eu coloque a experiência acadêmica e pedagógica a serviço da Astrologia.

O que é pesquisa? A resposta a esta pergunta já seria motivo para várias respostas. O levantamento de hipóteses, a escolha da bibliografia a ser consultada, a produção do texto a partir dos registros de leitura, cada uma destas fases requer uma paciência e habilidades especiais. Sem contar a pesquisa de campo.

O trabalho não é simples, mas, nós, astrólogos, em geral, somos pesquisadores por natureza. Então, conhecemos as dificuldades de todos esses passos. Em conjunto, partilhando as descobertas e as dificuldades, cada uma dessas etapas poderá ser mais enriquecedora para todos nós ao empreender esta tarefa.

São poucos os critérios básicos que, inicialmente, merecem nosso cuidado: 1)o compromisso com uma pesquisa que seja liberta de ideologias limitadoras, podendo assim abrigar a diversidade de idéias que representa melhor a natureza humana; 2) a utilização de uma metodologia de cunho científico que  promova sempre o respeito e a seriedade pelo conhecimento que elaboramos.
Outros critérios serão comunicados à medida que esta área do site com esta proposta de trabalho se organizar. 

O espaço está aberto! Mande sua participação. Conte suas notícias. Fale-nos a respeito de sua reflexão e atividades sobre o assunto. O CNA quer unir os esforços dos vários pesquisadores que já existem atuantes em nosso território.

Para finalizar, faço uma pergunta. Lanço um convite. Que tal se cada regional da CNA desenvolvesse um plano de trabalho de pesquisa próprio?  Se isso puder ocorrer, poderemos ter, dentro de um tempo, um painel nacional de pesquisa organizada de acordo com as variadas particularidades de cada região.

Tal painel além de ser interessante para termos um mapa dos interesses e vocações da Astrologia brasileira, com certeza, concorreria para o bem maior da Astrologia. Ou seja, podemos sonhar. Por que não?