A Educação, olhando o mundo

Em salas de aula, mais aprendi do que ensinei. Os caminhos da educação são espaços para ensino e aprendizagem e, também podem ser, dependendo de alguns aspectos e sua amplitude, campo de diálogos entre mestre e discípulo.

Como discípula, aprendi das coisas do mundo e do funcionamento da natureza humana. Todos eles foram essenciais e, como diz Georges Gusdorf, me mostraram que pela educação “fora de todo o conteúdo particular, se cumpre a edificação de uma personalidade e se processa um destino”.

Aprendi que o ser humano se transforma ao entrar em contato com o outro e com o mundo. É tarefa mercuriana, de flexibilização de nossas crenças particulares que mudam ao entrar em contato com outras. Mudar para crescer, para ver o mundo a cada dia com olhos diferentes.

Agradeço especialmente aos mestres que me ensinaram coisas importantes da vida, como a ética e o amor ao conhecimento, o inconsciente, os símbolos astrológicos, a força da metáfora e da imaginação.

Com nossos mestres, ampliamos nossa linguagem. Pelos diálogos e nas muitas linguagens aprendidas, exercitamos a vida. Elas nos indicam as perspectivas possíveis do mundo. Tenho procurado viver bem, dentro daquelas que cabem melhor à minha compreensão.

Cursos de formação e trabalhos desenvolvidos:

• Professora universitária (UNISAL/ 2001 a 2007) e do ensino médio no ensino público e privado do Estado de São Paulo (1974 a 1993); professora em curso preparatório para concursos públicos e outros indicados nos tópicos sobre leitura e escrita deste site;
• Faculdade de Letras (USP/1965), mestrado em Literatura Portuguesa (USP/1981); Psicopedagogia – Universidade São Judas Tadeu/SP , 1999/2000.
• XVII International Conference organizada pelo Institute For Bioenergetic Analysis e The latin American Federation for Bioenergetic Analysis , Salvador/BA - Consciência Corporal, Estresse e o Professor, 10/2003;
• XV Encontro de Reich no Sedes - Sintomas da Contemporaneidade e a Clínica Ampliada, SP/SP - Consciência Corporal e Escola : Reflexões, 11/2002;
• EPEN (Encontro de Pesquisa educacional do Norte e Nordeste) em Salvador (BA), O educador e a questão das relações interpessoais em sala de aula, O educador e a nova compreensão de ensino-aprendizagem, 06/99.